Capim do Mato Pousada e Spa: um paraíso perto de Belo Horizonte

  • 09 de fevereiro de 2017


Em janeiro deste ano decidi comemorar meu aniversário com uma viagem para descansar e curtir um tempo na natureza. Para tanto, a escolha foi a Capim do Mato Pousada e Spa by L’occitane.

A pousada fica a 90 km de Belo Horizonte e está estrategicamente posicionada na entrada do Parque Nacional da Serra do Cipó. Para chegar lá e passear pelo local, decidimos ir de carro, para termos autonomia para visitar as cachoeiras.

 

ÉPOCA

Se a intenção for curtir as cachoeiras, a melhor época para visitar a região é entre os meses de seca, de abril a outubro. Fomos em janeiro e não pegamos nenhum dia de chuva ou tempo fechado, então vale ficar de olho na previsão do tempo e arriscar uma ida fora da temporada. 

POUSADA

A pousada faz parte da lista de indicações do renomado guia de luxo Condé Nast Johansens. O guia, que é elaborado anualmente, conta com mais de 50 inspetores que visitam estabelecimentos ao redor do mundo e selecionam aqueles que prestam um serviço de excelência (considerando instalações, culinária, conforto, atendimento, entre outros). Aos premiados é concedida uma placa com a Marca de Excelência do Condé Nast além da indicação do local em seu guia impresso.

Outro ponto que me chamou atenção durante as pesquisas foi o compromisso ambiental que o local possui. Desde a sua construção, o local tentou agredir o mínimo possível o ambiente ao redor, prova disso é que o transporte de materiais de construção foi realizado por homens e não maquinários, assim como as madeiras utilizadas no local, que são de reflorestamento ou de origem biossintética (que é formada por resíduos plásticos e de fibras naturais).

A água utilizada na pousada é proveniente do rio Cipó depois de uma filtragem que não utiliza aditivos químicos (inclusive, em razão disso, a água tem uma tonalidade um pouco mais escura, entretanto, sem gosto ou cheiro). 

 

A pousada possui somente 5 quartos, sendo uma suíte master, um loft, um bangalô e dois bangalôs luxo.

Os quartos ficam nas imediações da área principal da pousada, com exceção dos bangalôs luxo que são mais reservados. É necessário uma pequena trilha para seu acesso. Vale destacar que, em razão de seu local mais distante, o wi-fi não funciona no quarto. Este bangalô possui, ainda, uma lareira, um deck com futon e um ofurô. Definitivamente, vale o investimento a mais na reserva do bangalô luxo.

O local conta com duas piscinas, a que se encontra na parte central da pousada, que não é aquecida, mas conta com suporte do serviço de restaurante e bar e outra, situada no spa, com borda infinita e vista para o parque nacional. Entretanto, esta piscina só funciona a partir das 14h e não possui atendimento do restaurante.

 

ATIVIDADES

 

A proposta do local é a que você descanse e relaxe bastante e, para isso, oferece um spa da marca L’Occitane. Segundo o próprio site da pousada, o spa conta com uma piscina ao ar livre com borda infinita, deck, chaises com vista para as montanhas, salas de ofurô e hidromassagem para vivências hidroterapêuticas, sauna a vapor, menu de massagens com tratamentos corporais e faciais, enxoval Trousseau, vestiários, sala para o descanso e boutique L’Occitane.

Para ser sincera, gostamos tanto do nosso quarto que não tínhamos muita vontade de sair de lá, então não aproveitamos tanto o spa. Fizemos apenas uma Vivência Hidroterapêutica, que foi ótima e recomendo. Mas posso dizer que a estrutura do spa é excelente. A piscina tem uma vista linda e o local é bem agradável.

Entretanto, para quem também quer fazer algumas atividades mais aventureiras, não faltam opções pela região. Como já mencionei, a pousada fica na Serra do Cipó, região famosa por suas cachoeiras e trilhas, com diversos níveis de dificuldades.

O pessoal da pousada chegou a nos recomendar algumas cachoeiras, mas como o nosso objetivo era descansar, só saímos para conhecer a Serra Morena e valeu muito a pena, pois ela é linda. 

Ela fica a uns 10km do hotel (inclusive com partes em estrada de terra). A entrada custa 30 reais por pessoa e a trilha feita à pé é bem fácil.

 

ALIMENTAÇÃO

O café da manhã é, definitivamente, um dos pontos altos da hospedagem. Além de uma mesa onde ficam expostos diversos itens (como café, leite, bolo, queijo, presunto, granola, sucos, geleias, etc), você ainda tem um menu com diversos itens a serem pedidos e preparados na hora.

É possível, ainda, solicitar o café da manhã no quarto (cobrança extra de 32 reais, valor de Janeiro/17), mas, nesse caso, não é possível escolher os itens a serem servidos. Fizemos o pedido do café da manhã no quarto em um dos dias e a seleção oferecida foi variada e farta.

O local conta com um recém inaugurado restaurante (onde também é servido o café da manhã), com um menu a la carte delicioso. Entre os pratos pedidos, o destaque fica para o sanduíche de salmão e, se não me engano, um medalhão de filé ao molho de cogumelos com batata baroa. Mas todos os pedidos estavam sempre muito bons.

Quanto ao atendimento, os funcionários do local se mostraram prestativos e, no dia do meu aniversário, enviaram um cartão com os parabéns e um chocolate.

Entretanto, preciso comentar que tivemos um pequeno incidente na chegada ao local, pois ficamos por mais de 40 minutos interfonando no portão de entrada sem retorno. Meu marido teve que pular o portão (pois é!) para ir à recepção e ser atendido. 

Ao final da hospedagem a proprietária informou que acredita que o interfone não estava no gancho, mas, ao invés de reconhecer a falha e tentar reparar a situação desagradável que nos causou, questionou porque não tomamos outras medidas para tentar entrar em contato com o local (como não termos visto que havia um portão de serviço aberto sem nenhuma identificação da pousada) o que não é, convenhamos, o tipo de reação que esperamos em tais situações. Afinal, não teríamos aguardado tanto tempo do lado de fora se tivéssemos outra opção.

Portanto, apesar de o atendimento dos funcionários ter sido cordial, o tratamento dispensado pela proprietária foi, por mais de uma vez, desagradável e nos deixou uma impressão negativa. Uma pena!

 

De qualquer forma, é um local muito bom para relaxar e estar em contato com a natureza, mas sem perder o conforto.



Esse artigo foi lido 1047 vezes!

Sobre o Autor

Rhyane Baena

Adora pesquisar e programar viagens... essa parte é quase tão boa quanto ir. Então por que guardar essas descobertas só pra mim? @rhyane


Veja Também