Marcio no Mundo




Dicas de Moscou: a cidade dos jogos de abertura e encerramento da Copa


Publicado em 13 Jun 18



Booking.com



Moscou é uma das cidades mais populosas do mundo e sua história ficou marcada pelo fim do período imperial e pelo período socialista que durou por mais de 70 anos.

 

 

Por isso, enquanto o turismo por São Petersburgo é voltado mais pro período imperial, Moscou foca nesse período soviético. Mas, independente de qual período possa te agradar mais, a gente garante que as duas cidades valem a visita.

 

 

Onde se hospedar em Moscou:

 

Não há lugar melhor para se hospedar do que ao redor da praça vermelha, entretanto, as hospedagens por lá costumam ser mais caras do que no resto da cidade.

 

Pra quem não estiver podendo arcar com o custo e quiser uma outra opção, o distrito de Arbat costuma ser considerado ótimo. Por lá, o ideal é ficar próximo a uma estação de metrô e também da rua de mesmo nome. A via tem cerca de 1km de extensão e é apenas para pedestres! Por lá ficam restaurantes, cafés e todos os dias rolam bandas e músicos por ali!

 

De qualquer forma, o mais importante de tudo, é ficar perto de uma estação de metrô, pois a cidade é bem grande, os pontos turísticos ficam mais espalhados e esse será, com certeza, o melhor meio de transporte pa ra andar por lá! (Sem contar que o metrô é ótimo e lindo).

 

Nossa escolha: ficamos no Maroseyka 2/15, que foi uma opção econômica, mas muito bem avaliada e na localização que desejávamos.

 

Adoramos demais, ele é todo novinho, a localização é incrível, a poucos passos da estação de metrô Kitay-Gorod, da praça vermelha e do teatro Bolshoi! Com certeza, nos hospedaríamos lá novamente!

 

Confiram aqui todas as opção de hotel em MOSCOU e façam sua reserva.

 

O que fazer em Moscou:

 

 

O ponto turístico mais emblemático da Rússia, na nossa opinião, é a Catedral de São Basílio, a igreja foi encomendada pelo czar Ivã, o terrível pra celebrar a conquista da cidade de Kazan e para fazer jus ao seu nome, ele mandou cegar o arquiteto que projetou a igreja, assim não poderia construir um lugar mais bonito.


A igreja, na verdade, se chama "Catedral da Intercessão" e é formada por 10 pequenas capelas, mas as pessoas a chamam de São Basílio, pois a capela dedicada ao santo é a mais popular entre os fiéis.

 

 

A Catedral funciona todos os dias de 11h às 18h (bilheteria até às 17h15) e custa 500 rublos por pessoa.

 

A Catedral fica na Praça Vermelha, a praça mais icônica da cidade e seu nome é não por conta da cor da maioria dos prédios que a rodeiam, tampouco herança dos anos comunistas, mas porque a palavra vermelho em russo antigo era, originalmente, sinônimo de lindo e a praça merece esse nome mesmo.

 

 

A praça é rodeada por diversos pontos turísticos além da Catedral, como o Kremlin, o shopping center GUM, a Porta da Ressurreição e o Mausoléu do Lênin.

 

O GUM é a maior construção na Praça Vermelha, por isso, é impossível passar batida. O prédio tem uma história interessante, pois durante o período bolchevique foi transformado em um armazém de distribuição dos bens considerados essenciais à população na época. Hoje, ironicamente, é um shopping de luxo da cidade, mas ainda que você não pretenda gastar infinitos rublos por lá, vale visitar, pois o local é lindo.

 

 

Não deixe de tomar o tradicional sorvete GUM nos vários quiosques pelo shopping e de conhecer o supermercado que fica no térreo.

 

O Mausoléu de Lênin também fica por ali e nele que fica guardado o corpo embalsamado do líder soviético. Pra sermos sinceros, a visita é de gosto bem duvidoso, mas como é rápida e gratuita, vale a pena para você tirar suas próprias conclusões.

 

Stálin também foi embalsamado e seu corpo está na Necrópole da Muralha do Kremlin junto com Yuri Gagarin e outras personalidades da história russa.

 

Fique atento ao horário de funcionamento que é restrito, funcionando apenas das 10h às 13h.

 

Na praça vermelha fica, ainda, o mais importante ponto turístico da cidade, o  Kremlin. A palavra Kremlin significa fortaleza e, por isso, outras cidades do país também possuem o seu, mas nenhum é tão importante quanto o de Moscou. Isso porque é lá que fica a sede do poder russo e também onde ficam diversas outras atrações, como catedrais, palácios e o fantástico Palácio do Arsenal, onde você vai poder ver parte de toda a riqueza acumulada pelos czares russos, como carruagens, o vestido usado por Catarina em sua coroação, alguns ovos Fabergé, entre outras riquezas.

 

 

O local é gigantesco, mas como a residência oficial do presidente fica lá, só é possível conhecer metade do complexo.

 

Como existem várias atrações, são disponibilizados ingressos diferentes, mas a gente considera imperdível comprar o ingresso que permite visitar o Palácio do Arsenal (por 700 rublos). Atenção, pois o ingresso para o Arsenal é por horário, então, a gente recomenda comprar com antecedência.

 

As visitas ao Kremlin acontecem das 10h às 18h, sendo que a bilheteria funciona das 9h às 16h30m. E é fechado às quintas-feiras.

 

Tour pelas estações de metrô: o metrô de Moscou é considerado um dos mais bonitos do mundo (se não o mais) e isso porque quando ele foi construído, Stalin chamou os melhores arquitetos e artistas do país para fazer com que as estações, por onde as pessoas iriam passar diariamente, parecessem palácios. Isso tudo com a intenção de fazer a população acreditar que no período Bolchevique, diferente do período imperial, a riqueza estaria com o povo.

 

 

Por isso, um tour pelas estações de metrô é passeio obrigatório na cidade! Uma dica, como estamos falando do segundo metrô mais movimentado do mundo, (perdendo apenas para Tóquio) evite fazer esse passeio nos horários de pico.

 

 

Estações que merecem a visita:Teatral’naya ou Teatralhnaia, Mayakovskaya, Belorusskaya, Novoslobodskaya, Prospekt Mira, Komsomolskaya, Taganscaya, Kiyevskaya, Ploshchad Revolyutsii.

 

Outra informação interessante é que as estações, em razão da profundidade, foram usadas como esconderijos durante os bombardeios da segunda guerra mundial.

 

Museu Cosmonauta é o museu que retrata a trajetória russa (e um pouco da americana também) na época da corrida espacial. O museu tem mais de 90 mil objetos em exposição, alguns originais e outros que são réplicas de itens importantes pra história, como o Sputnik 1, que foi o primeiro satélite artificial da terra. Então, é aquele passeio perfeito pra quem gosta de história, tecnologia, pesquisa espacial, enfim, pra quase todo mundo. O museu não abre às segundas-feira e a entrada custa 250 rublos (alguns blogs falavam em uma permissão para fotos por 230 rublos, mas não nos cobraram e tiramos fotos normalmente) e tem áudio-guia por 150 rublos.

 

 

Catedral do Cristo Salvador: essa é uma das igrejas mais importantes da Rússia, pois aqui foram celebradas solenidades do país, como a coroação do czar Alexandre III. Ela é a maior igreja ortodoxa russa, compete com a de São Basílio o título de principal da cidade e como ainda está em funcionamento, não cobra entrada, mas é educado que as mulheres cubram suas cabeças. Ela é realmente linda e merece a visita.

 

Chegamos lá, por sorte, durante uma missa e foi uma experiência muito legal, pois é muito diferente do que estamos acostumados, mas muito bonita, pois a missa é totalmente cantada.

 

Bunker 42: esse é o esconderijo mais famoso do país, pois foi criado para ser utilizado por Stalin no período da Guerra Fria e é aberto à visitação.

 

 

O esconderijo fica a 67 metros de profundidade, tem capacidade pra 600 pessoas sobreviverem por 1 mês e dizem que suporta até a bombardeio atômico.

 

Os tours em inglês acontecem às 13h30 e às 18h30. O da 13h30 tem uma maior duração e custa mais caro, 2200 rublos. Já o das 18h30, dura 1h30 e custa 1800 rublos, foi a nossa escolha.
 

Nossa opinião: é legal pensar que vc está num lugar tão profundo e as razões históricas por trás da construção do bunker, mas não achamos imperdível! O tour é superficial, a impressão que nos dá é que os lugares pelos quais passamos foram feitos apenas pra turista ver, mas saímos sentindo falta de ver como aquele lugar era realmente.
 

Enfim, eu AMO história, não me arrependi de ter ido, mas não acho que vale o que é cobrado, então se você está sem tempo, querendo economizar ou não sonha em conhecer esse lugar, pode cortar sem peso na consciência!

 

Em um dos nossos dias por lá, fomos conhecer a fofíssima cidade de Serguiev Posad, ela faz parte do anel de ouro, que são as cidades medievais que tiveram uma grande e importante participação na formação da igreja ortodoxa russa.

 

 

Na cidade, que fica cerca de 70 km de Moscou, fica um dos principais mosteiros do país, o Monastério da Trindade-São Sérgio. O monastéio recebeu esse nome em homenagem a seu criador, Sérgio de Radonej que, após sua morte foi canonizado e foi declarado o padroeiro do país.

 

Pra quem quiser comprar alguns souvenirs, antiguidades e visitar um lugar bem agradável na cidade, o Kremlin de Izmailovo é uma ótima. Este lugar foi inspirado nos contos de fadas russos e nas antigas residências dos czares russos, então espere um lugar bem colorido e fotogênico.

 

 

Por lá, ficam alguns museus, como o de brinquedos, da vodka, do chocolate, mas todos estão unicamente em idioma russo, por isso, não animamos de entrar, mas fica a dica.

 

O local funciona todos os dias, mas final de semana costuma ser mais movimentado.

 

Teatro Bolshoi: Bolshoi significa Grande, não tem nome mais apropriado para definir o ballet mais famoso do mundo. E se você deseja assistir o espetáculo, saiba que ele é super concorrido e as apresentações acontecem apenas em algumas épocas do ano, por isso, verifique antes para saber se o período da sua viagem vai coincidir com as apresentações e compre o mais rápido possível.

 

 

Arbat Street: uma rua para pedestre com diversos restaurantes, cafés e lojinhas de souvenirs (mas não compre nada por lá, tudo estava infinitamente mais caro do que no resto da cidade).

 

Algumas coisas que não conseguimos fazer, mas recomendamos:

 

Gorky Park, o Vorobyovy Gory (que dizem ter uma vista linda da cidade), o museu Tretyakov Gallery de arte russa, O Convento Novodevichy, visitar as Sete irmãs de Stalin (como são chamados os arranha-céus da cidade, só conhecemos algumas e passando de carro).

 

Onde comer em Moscou:

 

Continuando nossa viagem gastronômica pela Rússia, vamos pra Moscou agora!

 

Tivemos experiências incríveis por lá. A começar pelo Café Pushkin onde o Daniel comeu o melhor strogonoff da vida dele que é bem diferente do nosso e um clássico da culinária russa. Escolhemos um local super tradicional para degustá-lo. E valeu a pena! O Café Pushkin é um restaurante chique em Moscou e merece a ida, apesar de ser um pouco mais caro que a média na Rússia.

 

Não poderíamos deixar de ir no Shake Shack de Moscou, já que eu amo o hambúrguer vegetariano de lá (sem contar que a batata-frita é uma delícia). Não é uma comida russa, mas pra quem gosta de junkie food, é uma boa escolha.

 

O grande destaque da culinária de Moscou fica com o White Rabbit. Restaurante que ficou em 23º lugar entre os melhores do mundo pela revista Restauranteur. Lugar sofisticado e chique, fica na cobertura de um prédio alto de Moscou. Possui uma vista linda de Moscou. Valeu muito a pena e, mesmo sendo um dos restaurantes mais caros da nossa viagem, o valor é mais baixo que um bom restaurante em uma grande capital no Brasil.

 

 

Almoçamos um dia no GUM, em um restaurante buffet por lá (não lembramos o nome, mas é o único do tipo por ali) e não gostamos muito não, na verdade, foi nossa pior refeição na viagem e nem era barato. Mas o shopping conta com outras opções que podem ser mais interessantes.

 

Ainda no GUM, fomos no Café Bosco e adoramos, sentamos em uma mesa na varanda e tomamos um café ali com aquela vista da praça vermelha. Foi muito bom! Eles ainda fornecem uma manta pra proteger do frio.

 

 

Por ali, a gente conheceu a hamburgueria FAR, a gente não tinha lido sobre ela em nenhum lugar, mas ao passarmos por lá, nos chamou atenção o fato do lugar estar lotado de gente, com uma música animada e tivemos a sensação de sermos os únicos turistas por lá.

 

Tepemok: uma famosa rede russa, com comida mais simples, mas muito saborosa. Eu fiquei viciada na sopa de queijo de lá, queria tomar todo dia à noite pra esquentar no friozinho que fazia na cidade.

 

 

 

LEIAM TAMBÉM NOSSOS OUTROS POSTS DA RÚSSIA.

 

Espero que tenham gostado das dicas e tenham dias lindos por lá e que esse país conquiste vocês, assim como nos conquistou!



Esse artigo foi lido 615 vezes!


Texto Escrito Por:

Rhyane Baena

Adora pesquisar e programar viagens... essa parte é quase tão boa quanto ir. Então por que guardar essas descobertas só pra mim? @rhyane



Comentários

Publicidade




Booking.com

Seguro viagem geral 250x250

Encontre-nos no Facebook




Posts Relacionados


Dicas de Moscou: a cidade dos jogos de abertura e encerramento da Copa

13 Jun 18

Dicas de Rostov: a cidade da estreia do Brasil na Copa da Rússia

01 Jun 18

Dicas de São Petersburgo: uma das cidades mais bonitas da Europa

13 Abr 18

Posts Mais Populares


Alagoas: Dicas de São Miguel dos Milagres

Alagoas

Guia completo de Maceió

Alagoas

Praia do Patacho - uma das praias mais bonitas do Brasil

Alagoas