Tudo que você precisa saber antes de ir para Suíça

  • 09 de agosto de 2017


Quantos clichês vem à nossa cabeça quando pensamos na Suíça? Vários, né? O chocolate, queijo, fondue, os relógios, as vaquinhas e tudo isso se confirma assim que a gente chega lá! Talvez o que a gente não esteja esperando é que a Suíça seja ainda mais linda, mais organizada, gentil e que, acredite, tenha mais morador falando em português do que qualquer outro país que já tenhamos ido (com exceção de Portugal e Brasil, claro!).

 

 

Então, se você está planejando uma viagem pro país das vaquinhas, fica de olho que a gente vai dividir tudo! Bora lá?

 

Quando ir para Suíça:

 

 

Tá aí um país que pode ser visitado em qualquer época do ano! Se você optar por ir no verão, vai poder curtir muito os lagos que ficam com cores mais vivas (em alguns, é possível nadar e praticar algumas atividades), participar de alguns eventos próprios da época, como o Festival de Jazz de Montreux e, mesmo nessa época, é possível conhecer neve (mas isso a gente conta pra vocês depois).

 

Agora tenha cuidado pois algumas cidades não funcionam durante o ano inteiro, por exemplo, várias coisas em St. Moritz fecham fora dos meses de alta temporada.

 

Já pra quem curte o inverno, o país é o paraíso! Possui uma infinidade de cidades com estações de esqui, sendo algumas das mais famosas: Interlaken, Zermatt, St. Moritz e Davos-Klosters. O difícil vai ser escolher uma entre tantas opções incríveis =)

 

Sobre a Suíça:

 

 

A Suíça faz fronteira com diversos países, como a Itália, Alemanha, França e, por isso, é muito fácil chegar lá. Todas as cias aéreas europeias operam voos com destino ao país (para cidades maiores como Zurique, Genebra e Berna). Além disso, é possível, ainda, chegar de trem vindo de algum dos seus países fronteiriços.

 

 

O país está dividido em 3 zonas, a suíça alemã, suíça italiana e suíça francesa. Cada uma tem características e idioma próprios, então é legal tentar conhecer todas (nem sempre é possível, pra gente ficou faltando conhecer alguma cidade da Suíça italiana).

 

E pra já te ajudar a ter uma idéia de como fazer isso, a gente montou uma listinha com os destinos mais comuns por lá e onde eles ficam!

 

Suíça Alemã: Lucerna, Zurique, Berna, Interlaken, St. Moritz, Zermatt;

 

Suíça Francesa: Montreux; Lausanne; Genebra, Lavaux, Le Gruyère, Broc, Charmey, Vevey.

 

Suíça italiana: Lugano, Ascona,  Locarno e a capital Bellinzona.

 

Como comentamos, pra um roteiro perfeito pela suíça, o ideal seria combinar uma cidade de cada parte da Suíça! Além disso, a gente também indica que tenha, ao menos, 1 cidade beira-lago (como Montreux ou Lucerna) e outra base de montanha (como Interlaken, Zermatt ou St. Moritz).

 

Nosso roteiro pela Suíça:

 

 

Considerando tudo isso, o nosso roteiro dia a dia no país ficou assim:

 

Dia 1 - saímos de Tirano (Itália) para St. Moritz com o Bermina Express. Dormimos em St. Moritz.

Dia 2 - pegamos o trem Glacier Express de St. Moritz para Zermatt. Passeamos em Zermatt e fomos para Montreux à noite. Dormimos em Montreux.

Dia 3 - Fizemos passeio de bate e volta para Gruyerès e Broc. Dormimos em Montreux.

Dia 4 - Passeio por Montreux e Vevey. Dormimos em Montreux.

Dia 5 - Fomos de Montreux para Interlaken. Dormimos em Interlaken.

Dia 6 - Fizemos o passeio para o Topo da Europa. Dormimos em Interlaken.

Dia 7 - Saímos cedo de Interlaken e fomos passear em Lucerna. De Lucerna fomos pra Zurique. Dormimos em Zurique.

Dia 8 - Zurique - Voo.

 

Nos próximos posts vamos falar melhor sobre cada um desses destinos, tá?

 

Como se locomover na Suíça:

 

 

Pra fazer todos esses trajetos, a gente usou o Swiss Travel Pass. Compramos o passe de 8 dias por 752 francos suíços pra nós dois. Compramos pelo site oficial  ainda no Brasil e já saímos daqui com ele impresso.

 

 

E o Swiss Pass costuma ser a maior dúvida de quem está planejando uma viagem ao país e foi a nossa também, pois é um custo muito alto e pode ser que não valha a pena pra todo mundo. Então, como decidir?

 

Caso você pretenda fazer o país de transporte público, o Swiss Pass é a melhor opção, as passagens avulsas são caras, se você pegar o trem errado, pode vir a pagar multa, além de ter que pagar o valor normal para entrar nas atrações turísticas do país.

 

Já pra quem está na dúvida sobre comprar o Swiss Pass ou alugar um carro, a gente não acha que tem opção melhor, mas sim aquela que atende às suas expectativas de uma viagem pelo país. Por exemplo, pra gente era prioridade passear em algum dos famosos trens panorâmicos suíços, então alugar um carro já não era a melhor opção.

 

 

Alguns pontos positivos e negativos de cada meio de transporte que precisam ser considerados na hora da escolha:

- com o Swiss Pass você pode fazer viagens ilimitadas em um transporte seguro, pontual e confortável (engloba trens, ônibus e barcos).

- o transporte público cobre todo o país, não tem perigo de querer ir para algum lugar e não ter como.

- a Suíça é um país pequeno, mas os trens, muitas vezes, levam um tempo longo para ir de um ponto a outro, caso você tenha pressa nos deslocamentos, o carro pode ser mais interessante.

- parece que não é tão simples encontrar estacionamentos na Suíça e, caso encontre, eles não seráo gratuitos, então conte com esse gasto na hora de escolher o transporte.

- caso você opte pelo carro, é necessário comprar um adesivo anual (chamado vignette autoroutière) para poder andar com ele por aí. Parece que é fácil encontrar esse adesivo em qualquer loja de conveniência e ele custa 40 francos suíços.

- caso você esteja em grupo, pode sair mais em conta alugar um carro, mas faça a conta para se certificar.

- com o Swiss Pass você tem desconto e até entrada gratuita em diversos pontos turísticos do país, então não esqueça de contabilizar esse gasto na hora de escolher.

 

Falando um pouco mais sobre os trens panorâmicos! Eles são trens com rotas normais entre as cidades suíças, mas em vagões panorâmicos, envidraçados e  são eles, o Golden Pass Line (liga Montreux e Interlaken), o Glacier Express (liga Zermatt e St.-Moritz), o Bernina Express (liga St.-Moritz e Tirano) e o Wilhelm Tell Express (de Lugano a Lucerna).

 

Pra quem vai usar transporte público no país, ter o aplicativo SBB faz toda a diferença! Não deixe de baixar, com ele você sabe os horários e a duração dos trajetos!

 

É caro viajar para Súiça:

 

 

O franco suíço é a moeda oficial do país, mas em muitos lugares aceita-se o pagamento em euro, mas fazem sempre 1 por 1, não sendo vantajoso pro viajante. O ideal é trocar o euro pelo franco suíço em algum banco ou casa de câmbio.

 

 

Realmente, a fama de que a Suíça não é um destino barato se confirmou. O transporte público, como a gente já comentou, é bem caro, as hospedagens são mais caras do que você pagaria na mesma categoria de hotel em outro lugar e a alimentação também. Para exemplificar, uma cerveja (mais barata) custa, mais ou menos, 5 francos, uma refeição em lugar simples, uns 18 francos, o café espresso, entre 4 a 5 francos e o que nos deixou mais tristes: até o chocolate suíço é mais caro na Suíça =(

 

LEIAM TODOS OS NOSSOS POSTS DA SUÍÇA.

 

Apesar do custo, o país é incrível, parece saído de um conto de fadas e vale a visita!




Sobre o Autor

Rhyane Baena

Adora pesquisar e programar viagens... essa parte é quase tão boa quanto ir. Então por que guardar essas descobertas só pra mim? @rhyane


Veja Também