Bariloche - o paraíso dos esportes de inverno.

  • 01 de abril de 2017


Bariloche é uma charmosa cidade situada na Argentina, localizada na Província de Rio Negro, na Fronteira do Chile. A cidade fica rodeada de belos lagos e montanhas. Os principais lagos da região são os Nahuel Huapi, Gutiérrez e Mascardi e as principais montanhas são o Cerro Tronador (3354 m de altitude, na fronteira com o Chile) e o Cerro Catedral (mais conhecido da região).

 
 
Bariloche possui cerca de 130 mil habitantes e tem como principal atividade econômica o turismo.
 
 
 
 
Fomos para Bariloche em duas oportunidades, ambas no período do inverno, contudo, a cidade é ideal para ser visitada em qualquer época do ano.
 
 
No inverno a cidade é ideal para prática de esportes de inverno e no verão para prática de trekking, cavalgadas, rafting, entre outras atividades.
 
 
A temporada de inverno e snowboard vai da última semana de junho até o final de setembro. 
 
 
 
 
A melhor forma para se visitar a região é através de avião. Na alta temporada é possível pegar voos diretos que partem do Brasil. O aeroporto de Bariloche fica situado a 15 km do centro, sendo possível ir até o centro de táxi (custa em média 20 usd) e de remisse.
 
 
A cidade conta com uma extensa rede hoteleira, com diversos tipos de acomodação: de hotéis de luxo aos mais básicos, além de cabañas, albergues e campings.
 
 
 
 
Para visitar a cidade recomendo pelo menos 4 dias inteiros, pois existem diversos passeios na região.
 
 
 
 
Para quem se hospeda no centro, a melhor forma de conhecer a cidade é à pé. Os principais restaurantes ficam no centro e a cidade é bem pequena. 
 
 
Bariloche também é sinônimo de uma excelente gastronomia, sendo possível comer peixes maravilhosos e as carnes de primeira. 
 
 
Durante nossa visita conhecemos os seguintes restaurantes e indicamos todos: 
 
 
Família weiss - restaurante bastante conhecido na cidade. A truta desse restaurante é deliciosa. Na deixem de comer a trucha a la Mantega Negra.
 
La Alpina - restaurante estilo suíço com um fondue muito bom. A decoração do local é muito legal.
 
Cervejaria Best. - local com várias cervejas importadas. Vale muito a pena.
 
Restaurante La Marmite - restaurante na com fondue e truta. Fica situado na avenida Mitre.
 
 
A vida noturna da cidade é muito bacana, com diversas boates e bares. Na época do inverno as boliches sempre estão cheia de jovens argentinos, chilenos e brasileiros.
 
 
As principais atrações de Bariloche são:
 
 
Cerro Catedral - uma das principais estações de esqui da América do Sul. Fica a 20 km do centro de Bariloche. É possível ir de transfer ou de ônibus. As passagens de ônibus são bem baratas e saem constantemente do centro da cidade.
 
 
 
 
City tour -  para o Cerro Otto e Cerro Piedras Blancas. Ambos têm como atração principal o esquibunda . O primeiro tem como atração extra uma Confeitaria Giratória, onde é possível ter uma vista de 360º de Bariloche. O Piedras Blancas tem também um centro de esqui para iniciantes, o Winter Park. 
 
 
Passeio de Barco - é possível fazer alguns Tours de barco pelo maior lago da região que é o Nahuel Huape.
 
 
 
Circuito Chico - Esse passeio é feito por diversas agência e leva os turistas para o mirante do Cerro Otto e do Cerro Campanario, e continua pela margem sul do lago até a Capela de Santo Eduardo, em frente ao hotel Llao Llao, à beira do Nahuel Huapi.
 
 
 
 
Cerro Bayo - é um cerro mais afastado do centro de Bariloche, mas o local é lindo e possui uma boa estrutura. Além disso, os preços são mais baratos que o Cerro Catedral.
 
 
 
Compras de chocolate: Ir para Bariloche e não comprar os famosos chocolates é o mesmo que ir para Paris e não ver a Torre Eiffel. A maioria das lojas ficam situadas na Calle Mitre. Recomendo a Abuela Goye, Chocolate del Turista e a Rapa Nui.
 
 
Enfim, vale muito a pena conhecer essa linda cidade. 
 
 
E você, o que achou dessas dicas?


Esse artigo foi lido 18821 vezes!

Sobre o Autor

Marcio Vital

Sou Advogado especialista em Direito Civil, Imobiliário e Trabalhista. Meu principal lazer é viajar e fotografar o mundo. Tenho um instagram que funciona como um microblog sobre minhas viagens e hoje conta com mais de vinte e cinco mil seguidores @marcion


Veja Também